Selo do "Mestre Chocolateiro"

Os hábitos alimentares dos brasileiros estão mudando em virtude da preocupação com a qualidade de vida, o que os levam a optar por produtos que tragam maior disposição, saudabilidade e benefícios no dia a dia.

Com base nessa premissa, a Arcor do Brasil, anuncia novidades para a linha de tabletes familiares e lança nas embalagens o Selo do Mestre Chocolateiro, que atesta a origem e qualidade do cacau, o rigoroso processo de desenvolvimento e produção do chocolate, bem como reafirma a tradição e a excelência na seleção das matérias-primas da iguaria.
Selo do Mestre Chocolateiro Arcor
Selo do "Mestre Chocolateiro"

A empresa apresenta também duas novas versões: "Amargo 70% Cacau Arcor" e "Chocolate Mesclado Arcor" (Branco com Meio Amargo) ambos com 160g. A Arcor identificou essa tendência internacional e é uma das primeiras empresas no Brasil e do setor varejista a lançar uma linha de chocolates com alto teor cacau na composição. O chocolate amargo apresenta menor quantidade de açúcar, com 28%.

De forma clara, as embalagens dos tabletes terão informações das propriedades nutricionais ligadas ao consumo do produto. "É uma prática com a qual a Arcor sempre preza em sua comunicação com os consumidores. O selo é uma maneira de traduzir o cuidado com o produto em todas as suas etapas de produção. A Arcor é uma marca tradicional e ao mesmo tempo inovadora e moderna. Estamos dando vida ao nosso "conhecimento" através do "Mestre Chocolateiro", explica a Diretora de Marketing da Arcor do Brasil, Loredana Mariotto.

O cacau utilizado nos produtos Arcor é comprado de grandes players multinacionais que processam o fruto. As amêndoas são originárias do Brasil e encontradas em algumas cidades da Bahia, do Espírito Santo e do Pará. A fabricante também importa cacau da Europa, permitindo maior refinamento e um paladar diferenciado a sua linha de chocolates.

O cacau contém flavonoides (componentes de baixo peso molecular) e triptofano (aminoácidos que proporcionam a sensação de bem-estar), aumentando a proliferação de neurônios no sistema nervoso, além de apresentar benefícios para o coração, revelado por pesquisadores de Linkoping, na Suécia.

Para Loredana, o fato do paladar do brasileiro estar cada vez mais refinado, tem demandado grandes movimentações de toda a indústria alimentícia. "Queremos reposicionar a marca de tabletes Arcor no mercado para ter maior visibilidade nas gôndolas dos supermercados, nos principais pontos de venda, entregando ao consumidor um chocolate de qualidade e excelência. É uma categoria para o consumidor de alto envolvimento emocional, além de ter um alto potencial para gerar awareness para a marca-mãe", pontua a executiva.

O produto será distribuído em todo Brasil ao preço sugerido de R$ 3,99 para a linha regular (Ao Leite, meio amargo 40%, amargo 53%, Branco, Brigadeiro, Amendoim, Ao Leite Rocklets), R$ 5,34 para o Amargo 70% e R$ 3,99 para o Mesclado, nos principais canais.

Comentários